Everson Barbosa

Um jovem com propósitos

Archive for the ‘bíblia’ Category

Chima com palavra – Uma mistura que dá certo

with 2 comments

A foto acima foi tirada no fim da ótima tarde que tivemos ontem. A idéia foiseguinte, juntar os jovens da igreja a irem para um local público de Lajeado, e lá mesmo fazer uma conversa descontraída sobre nossas muitas questões, uma boa mistura de chimarrão com palavra.

O papo da vez foi sobre a relevancia da palavra de Deus nos dias de hoje. Ou seja, até que ponto a palavra de Deus tem sido importante pra nossa geração?

Vou colocar em alguns pontos algumas coisas que foram discutidas e conversadas nessa tarde:

  • Temos que entender o que é a palavra de Deus para nós, e o que ela é para as outras pessoas que não tem entendimento do seu propósito.
  • A Bíblia não é um livro de auto-ajuda, não é um amontoado de regras, nem palavras escritas sem um propósito específico.
  • Ela é: expressão dos anseios dos homens de todas as gerações, uma bússola norteadora de nossas decisões, uma fonte de vida, uma revolução para aqueles que compreendem seu propósito.
  • Uma das primeiras questões foi entender porque a Bíblia é o livro mais vendido do mundo, mas tão pouco entendido. O legal que foi abordado fatos históricos (o Buiú que deu uma aula de história pra nós..), filosóficos e éticos do porque é tão dificil discernir o propósito  da Bíblia.
  • Conversamos muito também de como explicar a um jovem que a Bíblia é relevante. Claro, que a grande conclusão foi que a Bíblia deve ser vivida antes de ser pregada, como Paulo diz aos Coríntios, sendo cartas vivas. Também foi legal entender que temos que contextualizar a palavra para os dias de hoje, falar a linguagem da nossa geração, usar as ferramentas disponíveis e também aplicar no cotidiano, o que Jesus já fazia com suas simples, porém profundas parábolas.
  • Um dos momentos mais legais (sem contar a hora que apareceu o vendedor de algodão doce pra nós…) foi quando cada um argumentou se no futuro será mais fácil ou mais difícil pregar o evangelho. Ficou bastante divida as opiniões, e realmente é difícil prever algo assim, mas assim como vemos a igreja se modernizando o que para uns é um fator de crescimento, também vemos ela perder a essência de ser Igreja. Independente de ser difícil ou não, a conclusão que chegamos é que temos que ter nossos olhos fixos na palavra de Deus e não em pessoas, que podem nos inspirar, mas ainda assim são falhas, e só assim teremos uma geração que será capaz de marcar a história de uma geração.


“O conselho do Senhor dura para sempre; os desígnios do Seu coração, por todas as gerações”

(Sl 33:11).

“A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho.”

(Sl 119:105)

Seguir com fé

Acesse as fotos do grupo de jovens clicando aqui

Written by eversonbarbosa

agosto 17, 2008 at 8:13 pm

Fazendo um check-up diário (parte 2)

with one comment

Na primeira parte desse papo sobre coração (clique aqui para acessar) falei que temos que ter um coração novo a cada dia, vou dar três motivos para isso:

– PRECISAMOS TER UM CORAÇÃO NOVO PARA SABER POR QUE NASCEMOS

O homem não é máquina, não é um robô ou fantoche nas mão de Deus, é um ser com motivações boas e ruins. Isso nos foi dado pelo próprio Deus quando soprou sobre nós vida (Gn 2:7) e nos fez almas viventes. Foi ai que nosso coração bateu, foi nesse momento que sentimos emoções, e realmente acordamos para a vida. O coração novo simboliza o sopro que vem de Deus, a vida que surge do pó.

Nós não temos instintos, nós temos motivações e essas motivações também nos levam a buscarmos um afastamento de Deus, pois essa é uma tendência do homem já que com o ínfimo poder que temos acabamos nos achando auto-suficientes e esquecemos que somos pó e carecemos do sopro de Deus pra viver.

Eu preciso de um coração novo a cada dia para poder sentir o vento que sopra de Deus em minha vida, me dando uma razão de viver.

– PRECISAMOS DE UM CORAÇAO NOVO PARA SER DIFERENTES E NÃO SEGUIR A MAIORIA

“E por se multiplicar a iniqüidade o amor de muitos esfriara” (Mt. 24. 12)

Essa passagem reflete o momento que vivemos, e é uma frase lógica, não precisa ir muito longe para pensar se a iniqüidade tem aumentado e como conseqüência o amor esfriado, faça um simple exercícios: assista um noticiário fazendo suas refeições.

Eu não sei quanto a você, mas a minha comida perde o sabor.

É triste ver a compaixão se esfriando, é horrível ver pessoas que perderam a esperança em um mundo melhor, são pessimistas e se sentem indiferentes a qualquer coisa.

E sabe de quem eu estou falando? De pessoas que estão dentro dos templos, estão nas igrejas.

É muito fácil nos acomodarmos dentro da igreja, porque ali existe um núcleo social, diversas atividades, vários “ministérios” pra fazer parte, etc…eu preciso de um coração novo pra não me sentir confortável, mas me sentir inconformado com o que anda acontecendo ao meu redor!

Isso não é utopia, isso é tomar atitudes que possam parecer pequenas, mas que já são um passo enorme na busca de uma espiritualidade menos emotiva e mais ativa.

Tenha um coração novo para não ser como os muitos crentes que apenas dormem nos bancos das igrejas e não despertaram para um avivamento genuíno e relevante em nossa sociedade.

– PRECISO DE UM CORAÇÃO NOVO PARA SABER QUE DEUS É SUFICIENTE PRA MIM

O que te basta pra ser feliz?

Um bom carro, uma boa casa, um lindíssima namorada, realizações profissionais, ministério bem sucedido, o último modelo de celular, ou qualquer outra coisa material que podemos perder se tivermos as motivações erradas não são suficientes pra nós.

Deus, como nosso cardiologista revela o nosso diagnóstico e mostra de uma forma visceral o que está passando no nosso coração:

Porque do interior do coração dos homem saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldadess, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura (Marcos 7:21,22)

Claro que ter é importante, mas além disso, precisamos ser alguém! E a cada dia eu reconheço que eu só sei quem sou no momento que percebo que Deus é suficiente pra mim. Posso ter tudo, mas sem ele eu acabo tendo nada. Com ele as outras coisas da vida se completam.

Eu aprendi através de uma ilustração do Max Lucado no livro 3:16 que Deus como cardiologista não nos oferece como solução um remédio, recomendação ou um tipo de exercício físico mas Ele nos oferece seu próprio coração! Ele se oferece como A solução.

Ele tomou o nosso coração pecador sobre si, e ofereceu um coração novo em folha, sem remendos, mas perfeito.

Como homem eu tenho, sinto e vivo tudo aquilo que esta em Marcos 7:21,22, mas como Filho de Deus eu posso viver e receber um coração compassivo, generoso, perdoador, equilibrado, quebrantado, sarado, motivado, e qualquer outro atributo que esteja além da nossa capacidade humana de ter. Eu só encontro esse coração quando reconheço o amor de Deus por mim.

Isso é o mais básico do cristianismo, e o que ainda é tão difícil de comprender. Ele me ama pelo que Ele é, não pelo que eu sou, por que eu não mereço tão grande amor.

Deus não faz remendos na nossa vida, ele nos dá algo novo, ele não nos oferece um transplante, algo já usado, ele nos oferece um coração novo, reto e integro pra viver suas promessas. É com essa motivação que quero viver todos os dias da minha vida, e você?

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”

Hebreus 12:14

==

Written by eversonbarbosa

julho 15, 2008 at 11:16 am

Graça aos maltrapilhos

with 4 comments

Nessa bela tarde de domingo terminei de ler O Evangelho Maltrapilho de Brennan Manning. Livros como esse tem influenciado de forma muito positiva minha vida, assim como Maravilhosa Graça de Philip Yancey, o livro fala do amor de Deus dado aqueles que não merecem ele, justamente eu e você.

Mostrando que Jesus tinha uma queda radical por maltrapilhos, aquelas pessoas desprezadas pela sociedade, o livro nos convida para olhar a  vida de forma humilde, retirar qualquer máscara de ostentação, pois não passa de hipocresia, já que cremos que podemos chamar a atenção de Deus através daquilo que somos, e esquecemos que somos amados pelo que Ele é.

Assim como Yancey, Brennan Manning também tem uma história de vida interessante. O primeiro foi educado em um evangelho fundamentalista e preconceituoso, e encontrou na graça o sentido necessário para comprender o amor de Deus, já Manning foi um homem que lutou contra o alcoolismo e no livro compartilha algumas experiencias de como o amor de Deus foi suficiente e acolhedor para ajudá-lo.

Graça é um tema que não canso de estudar e buscar aprender mais, se é que um dia conseguirei comprender, e O evangelho maltrapilho é mais um daqueles livros que ficam na memória de quem já cansou de um evangelho superficial, mas busca um cristianismo autêntico, cada vez mais próximo com o ensinado pelo mestre de Nazaré.

Algumas frases que eu retirei do livro:

“Deus não é instável e nem caprichoso, não conhece épocas de mudanças. Tem um único posicionamento inflexível em relação a nós: Ele nos ama”

“A Igreja não é um museu para santos, mas um hospital para pecadores”

“Um santo não é alguem bom, mas alguém que experimenta a bondade de Deus”

“Conta a história de um pecador que foi impedido de ir a igreja e perguntou a Deus:

– Eles não me deixam entrar porque sou pecador.

Deus respondeu: -Do que você está reclmando? Eles também não me deixam entrar.”

Essas frases são só do primeiro capítulo.

Written by eversonbarbosa

junho 22, 2008 at 8:35 pm

Deus, o universo e minha aula

with 3 comments

Estou enrolando esse post a um bom tempo, e creio que chegou a hora de comentar sobre ele.

Cerca de um mês tive uma oportunidade incrível na aula de Metodologia da Pesquisa de falar abertamente de Deus.

Vamos partir do começo…

Essa matéria do meu curso (Comunicação SOcial – Hab. em Publicidade e Propaganda) tem por objetivo instigar os alunos a pesquisarem e aplicar métodos de pesquisa. O primeiro trabalho que tive foi justamente sobre o início das pesquisas, e meu grupo ganhou um tema curioso: Mistérios da ciência. Ou seja, tudo aquilo que a ciência ainda não pode explicar.

Como o trabalho de cada integrante do grupo não precisava seguir uma linha de raciocínio igual, achei uma oportunidade única pra falar de Deus, como algo que a ciência ainda não conseguiu explicar. Ótimo tema, porém como começar tudo isso? Que material pesquisar? Como passar essa apresentação para os colegas sem cair no crentês?

Como princípio, busquei algo de interesse geral da turma, e por isso me propus a pesquisar sobre cientistas, teoria do universo, física quantica…coisas tão distantes do meu mundo publicitário, mas muito proximas daquilo que creio e vivo.

Como resultado, apresentei um trabalho coeso, sem muitas divagações, mas com argumentos, principalmente baseado na refutação do livro Deus, um delírio de Richard Dawkins, que é um best seller internacional, e considerado como o grande trunfo atéista moderno. Mas é triste ler o livro e perceber um ateísmo fundamentalista, tão retógrado quanto a religião criticada pelo autor. Li tanto esse livro, quanto O delírio de Dawkins, que é uma resposta dos professores de Oxford (mesma universidade de Dawkins) ao autor ateu (no Dliver Blog tem uma interessante entrevista com o autor Alister McGrath) . Foi interessante também usar frases e o próprio testemunho de Cs Lewis, como um pensador inteligente e cristão.

É óbvio que falar sobre um tema assim não é fácil. Meu conhecimento nessa área ainda é muito superficial, porém meu maior receio não estava em apresentar corretamente, mas como os colegas e a professora iam se comportar com um tema assim. A primeira reação, logo ao abrir minha apresentação onde estava escrito Deus e a ciência, foi ver algumas caras de desaprovação, risadinhas, e ironias do tipo que estamos acostumados, porém sem muita intimidação encarei a “platéia”. Qual foi minha surpresa em notar a atenção deles e ver ali na frente não mais um crente chato, mas alguém que utiliza argumentos convincentes e inteligentes (não estou me achando!) pra falar de um tema tão complicado. Sai muito feliz da aula, por ver a aprovação da turma e dos próprios comentários da professora, que disse que a faculdade é um lugar muito dificil para se falar desse tema, por gerar muitos preconceitos e opiniões mal formadas. E o mais legal foi que deu o sinal para o intervalo e eu consegui falar um pouco mais (e quem já apresentou algo entre os periodos sabe como é dificil!). Sai naquela noite muito feliz por poder ter feito algo que sempre desejei fazer como universitário.

Por isso tenho plena certeza, e digo, se você busca ser um cristão relevante, alguém que seja mais do que um papagaio gospel, mas inteligente o suficiente pra argumentar e questionar, estude!!! Corra atrás, saiba que hoje as pessoas tem interesse de ver esse lado do cristianismo, não o cristianismo fundamentalista ou excentrico, mas aquele cristianismo saúdavel, puro e simples. Não sou um expert em teologia, e nem busco ser um pensador cristão, mas sei que se tenho a oportunidade de conhecer gente inteligente e que pensa além das 4 paredes da igreja e constroi relações entre o cristianismo e a cultura, sociedade e o comportamento que tanto nos influencia, tenho certeza que têm coisas boas para passar pro meu futuro.

—-

Se você sentiu interesse em ler o que apresentei no trabalho, clique abaixo, pois colei o resumo que fiz para entregar. A professora exigiu que tivesse relação com outros trabalhos apresentados por issso tem citações de outros textos.

Leia o resto deste post »

Written by eversonbarbosa

maio 13, 2008 at 12:38 am

Adoração não é música

with 5 comments

Acabei de chegar da igreja, e depois de uma semana que parece que passou voando aqui estou procurando uma leitura antes de assistir o filme Os Indomáveis, me deparo com esse belíssimo texto do Philip Yancey, que concordo com gênero, número, grau e mais qualquer outra coisa que tiver pra concordar.

Apreciem sem moderação ; ]

Philip Yancey – Uma reverência e um beijo – A verdeira adoração

A adoração verdadeira revela tanto a amizade quanto o temor a Deus

O cristianismo afirma um lugar único entre as religiões do mundo. Nossa fé fala de um Deus diante de quem os mais poderosos santos tiram os sapatos, curvam-se, rosto em terra, e arrependem-se no pó e na cinza. Ao mesmo tempo, ela afirma que um Deus que veio à terra, como um bebê, que mostrou carinhosa misericórdia para com as crianças e os fracos, que nos ensinou a chamá-lo de Aba, que amou e foi amado. Os teólogos dizem que Deus é transcendente e imanente. Deus inspira, ao mesmo tempo, respeito e amor, temor e amizade.

Para os mais modernos, no entanto, o sentimento de respeito surge com muita dificuldade. Domesticamos os anjos até transformá-los em brinquedos de pelúcia e ornamentos natalinos, fizemos cartões de São Pedro nos portões do céu, amansamos o fenômeno da Páscoa com coelhos desajeitados e substituímos o respeito dos pastores e dos magos por duendes fofinhos e um homem divertido vestido de vermelho. O Deus todo-poderoso ganhou apelidos, como ‘O Grande Cara’ e ‘O Homem Lá de Cima’.

Em fevereiro de 2005, esta revista publicou um artigo que trata de um assunto que me irrita. Qual foi o processo que levou a palavra adoração tornar-se sinônimo de música? Por muitos meses, minha igreja procurou um ‘pastor de adoração’ e houve um desfile de candidatos para uma audição, com seus violões e grupos vocais. Sim, alguns deles oraram: ‘Senhor, apenas o Senhor sabe, esteja verdadeiramente conosco esta noite e deixe-nos saber que está aqui’. Ninguém mostrou muito conhecimento de teologia e, seguramente, ninguém nos levou a sentir algo como respeito. Hoje, adoração significa preencher com barulho qualquer espaço de silêncio.

Saúdo o sentimento de celebração e alegria aparente em muitas músicas atuais. Ainda assim, espanta-me o que deixamos de lado quando tentamos reduzir a distância entre a criatura e o Criador, distância essa tão eloquentemente expressa por Jó, Isaías e os salmistas. João, o discípulo a quem Jesus amava, que reclinara a cabeça sobre Jesus, registrou, em Apocalipse, que caiu aos seus pés como morto, quando Jesus apareceu em toda sua glória.

O estilo de adoração oscila de cá para lá, como um pêndulo, do ortodoxo ao doukhobors, do anglicanismo aos quacres, do luteranismo ao moravianismo, de igrejas aprovadas e estabelecidas às igrejas contracultura emergentes; e, talvez, precisemos de um pouco das duas. Certa vez, Sören Kierkegaard disse que lidamos com a adoração como se o pastor e o coro fossem atores, e a congregação, a audiência, quando, em vez disso, Deus deveria ser a audiência; o pastor e o coro, os incitadores; e a congregação, os verdadeiros participantes. O que apresenta uma questão interessante: que tipo de música Deus prefere? Parece que temos muito tempo para aprender a resposta a essa pergunta, pois Apocalipse apresenta muitas cenas de criaturas adorando Deus por meio da música e da oração.

Abraham Heschel, eticista e escritor judeu, fez a seguinte observação: ‘Respeito, ao contrário do temor, não nos faz encolher diante do objeto de respeito, antes, leva-nos para perto dele’. Martinho Lutero disse que devemos orar com a reverência dirigida a Deus, e a ousadia, a um amigo.

Um líder de adoração, que causa um crescente impacto na música cristã, tenta manter em criativa tensão esses dois elementos de respeito e temor. Matt Redman, autor de canções como Heart of Worship [Coração de adoração], Better Is One Day [Um dia melhor] e Let My Words Be Few [Que minhas palavras sejam poucas], lidera o grupo Soul Survivor, que se reúne em grande armazém em Londres, Inglaterra. Certo ano, Redman e seu pastor, preocupados com o fato da música de adoração ter se tornado o foco dos músicos, em vez de Deus, deram um audacioso passo e eliminaram totalmente a música do culto de adoração. Após esse período de ‘jejum’, ele emergiu com uma nova compreensão de adoração.

Conforme declarou em uma entrevista no rádio:Adoração é mais bem resumida em Efésios 5.10, que afirma: ‘Aprendam a discernir o que é agradável ao Senhor’. Se você falar sobre música, na verdade, quer fazer uma oferta que o agrade e, obviamente, ele não está preocupado com a música em si, o estilo ou se você toca no tempo certo e coisas assim. Quando você despeja seu coração na música e apóia isso com sua vida, esse, provavelmente, é um coração de adoração.

Um disco de Redman, lançado em 1998, chamado The Friendship and the Fear [A amizade e o temor], título retirado de um versículo de Salmos 25: ‘O Senhor confia os seus segredos aos que o temem, e os leva a conhecer a sua aliança’ (v. 14).

Redman continua a explorar a região fronteiriça entre o respeito e o temor, pois a autêntica adoração engloba ambos. Essa é a resposta apropriada, quando o Deus santo faz um convite à intimidade para o ser humano imperfeito. No Antigo Testamento hebraico, a palavra original para adoração significava ‘curvar-se em reverência e submissão’. No Novo Testamento, a palavra grega mais usada para adoração significa ‘apresentar-se para beijar’. Entre esses dois significados — ou em uma combinação de ambos — encontra-se nosso melhor caminho para Deus.

Fonte: Cristianismo Criativo

Written by eversonbarbosa

maio 10, 2008 at 1:28 am

Congresso de Jovens – O que aprendi (2) – Com vídeos

with one comment

Valeu a toda a galera que comentou no post anterior, muito legal poder compartilhar experiencias (lembrem, não foram só emoções) com todos. Como eu comentei, logo ao chegar em casa peguei um caderno para fazer as anotações daquilo que aprendi, mas infelizmente estou sem o tal do caderno, mas a minha memória as vezes resolve me ajudar. Então para completar o post, vou colocar mais um pouco do que aprendi nesse maravilhoso fim de semana.

6 – Podemos ser Fazedores da História – A mensagem do Pr Marcos Garcia, o Coordenador Estadual de Jovens do RS, foi baseado nesse tema, podemos ser relevantes pra essa geração, não apenas andar ou acompanhar a história, mas revolucionar através do poder de Cristo em nossas vidas. Ele citou diversos exemplos de pessoas que fizeram história em sua geração, nos incentivando a transformar o mundo. Claro que durante a mensagem sempre lembrava da música History Maker do Delirious.

7 – Nossa geração é uma geração dispersa por não comprender seu chamado – Talvez a melhor mensagem que já vi em um Congresso aconteceu na tarde de sábado. Ver uma jovem pregando de forma ousada sempre nos motiva, mas e se essa jovem possuir uma deficiência física? A surpresa desse congresso esteve em perceber que fazemos tão pouco por Deus, reclamamos demais, e nos sentimos tão fracos. A jovem Aline, cuja única coisa que pode fazer é falar, já que é paraplégica desde nascença, trouxe uma ousada palavra sobre ter um chamado. Legal olhar pra ela e ver uma garota que sonha em fazer a diferença em sua geração, além do mais é um exemplo de dedicação ao reino de Deus, sem contar que nos ensina muito por estar concluindo o curso de Psicologia. Se colocar de joelhos e pedir perdão a Deus foi uma atitude natural de todos aqueles que estiveram presente no ginásio, foi tão grande a presença Dele naquele momento pois uma grande lição aqueles jovens estavam aprendendo. Inclusive eu.

8 – Renúncia nos tira do nosso Big Brother e nos leva pra perto de Deus – Todo congresso sempre tem algum cantor famoso, o que geralmente é o motivo de alguns jovens para ir no evento, e esse ano quem estava presente era mais do que um cantor gospel famoso, mas um cara que vivenciou todo o glamour da fama no meio secular, Chris Duran, é um exemplo de alguém que deixou tudo para trás e encontrou em Jesus a razão da sua vida. Claro que as “tietes gospel” estavam presentes, e ele mesmo contou um fato lamentável que aconteceu no hotel, mas nota-se nele mais do que um cantor, mas um pastor. Já que ele cantou apenas algumas músicas e trouxe a palavra. Foi legal ele ter usado o exemplo do filme O Show de Truman (quem ainda não viu corra pra ver, um filme sério do Jim Carrey!) e falar do nosso Big Brother existencial quando estamos presos a uma falsa sensação de liberdade.

8 – Curas, sinais e milagres aos nossos olhos – Falar em Chris Duran hoje também representa comentar o foco do seu ministério, que não está na música como disse anteriorimente, mas sim em demonstrar o poder de Deus. Foi algo surprendente o que aconteceu através da vida do Chris, é triste ainda conhecer pessoas (de dentro da igreja muitas vezes) que não acreditam mais em milagres, e acham tudo charlatonismo ou teatro, o que sei é que meu Deus trabalha com uma multiforme sabedoria (Efésios 3:10) e nos ensina e revela sua presença através dos diversos dons que ele dá a seus ministros.

9 – Quadrangulantes, AVANTE!!! – Esse é um tópico especial aos meus amigos Quadrangulantes que tenho um amor muito grande por tudo que fizemos lá em Cachoeira do Sul (quem me acompanha no blog sabe que a história é longa) e sempre é muito bom rever essa galera doida. O aperto no coração foi maior no congresso passado, por já ter passado mais tempo estou mais consciente do plano que Deus tem pra minha vida, mas mesmo assim a saudade sempre é grande, Deus me ensinou que vocês sempre vão ser especiais pra mim e fico muito grato por ter a oportunidade de crescer junto com toda essa galera doida! Continuem caminhando rumo as promessas!

10 – Vamos parar de falar e frutificar!!!! – De nada adianta passar dias de alegria, comunhão, edificação se isso não gerar frutos. E o impressionante é que as coisas já estão acontecendo na minha vida de forma clara e real. Jovens do Rio Grande do Sul, gerem frutos, esse é o nosso chamado!!

Vou colocar alguns vídeos que a galera andou postando no Youtube (por incrível que pareça tirei pouca foto esse ano, e só gravei um vídeo!)

Chris Duran – Amigo do Senhor

Ministração de cura

Minha razão

Written by eversonbarbosa

abril 24, 2008 at 11:47 pm

Vídeos acústicos Leeland e outros assuntos

with 5 comments

E quando se demora para postar, no blog imagine o que vem: vídeos do Youtube!

Achei uma apresentação acústica do Leeland cantando músicas do novo cd (falei dele aqui) que está fantástico, com ótimas melodias mostrando que eles amadureceram bastante em relação ao cd anterior.

Confira ai, é de surprender como essa pirralhada canta bem!

Let out it now

Count me in

Thief in the night

Não estou postando esses vídeos por falta de assunto, já que tenho ótimas experiencias que passei esse fim de semana e hoje a noite. No sábado aconteceu algo surprendente na igreja, estarei falando sobre isso logo. E hoje na faculdade falei sobre Deus de uma forma diferente para os colegas, fiquei muito feliz pela receptividade e a forma com que a professora conduziu o assunto, muita gente se interessou em ler CS Lewis e conhecer um pouco sobre o real significado de Deus, falarei sobre essa ótima experiência outra hora também!

Enquanto isso, confira o blog da Attitude estarei postando as fotos do aniversário da agência, foi muito divertido!

E estou no Twitter e na YehChurch também!

Written by eversonbarbosa

abril 3, 2008 at 3:19 am